Câncer de Cólon ou Colorretal. Prevenção e exames anuais fazem muita diferença

Câncer de Cólon ou Colorretal. Prevenção e exames anuais fazem muita diferença

[:pb]Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de cólon ou colorretal, mundialmente falando, representa a terceira causa mais comum de câncer em ambos os sexos. Os padrões geográficos são bem similares entre homens e mulheres, porém o câncer de reto é cerca de 20% a 50% maior em homens na maioria das populações.

Estimativa de novos casos: 36.360, sendo 17.380 homens e 18.980 mulheres (2018 – INCA)
Número de mortes: 15.415; sendo 7.387 homens e 8.024 mulheres (2013 – SIM)

 

Entenda melhor como prevenção e exames anuais fazem muita diferença, nas perguntas e respostas abaixo: 


1) O QUE É CÂNCER DE CÓLON OU COLORRETAL?

É um câncer que engloba os tumores malignos de um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. Quanto detectado precocemente, na maioria dos casos tem cura. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso.


2) COMO IDENTIFICAR O CÂNCER DE CÓLON?

Aqui na Oncocentro, realizamos a biópsia  (exame de fragmento de tecido retirado da lesão suspeita).


3) COMO FAZER A DETECÇÃO PRECOCE?

Recomendamos dois exames: pesquisa de sangue oculto nas fezes e colonoscopia. Pessoas com mais de 50 anos devem fazer o exame de pesquisa de sangue oculto nas fezes anualmente e, caso dê positivo, há a necessidade de um colonoscopia.


4) QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS?

Anemia de origem indeterminada e suspeita de perda crônica de sangue no exame de sangue, em pessoas com mais de 50 anos, alertam para a necessidade de se fazer uma endoscopia gastrintestinal, superior e inferior. Mudanças o hábito intestinal, desconforto abdominal, sangramento nas fezes, sangramento anal e sensação de que o intestino não se esvaziou após a evacuação também são sintomas importantes. Além disso, pode ocorrer:

  • Perda de peso
  • Cansaço
  • Fezes pastosas de cor escura
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Sensação dolorida na região anal, com esforço ineficaz para evacuar.

5) QUAIS SÃO OS FATORES DE ALTO RISCO?

  • Pessoas com mais de 50 anos de idade
  • História familiar de câncer colorretal
  • História pessoal da doença (já ter tido câncer de ovário, útero ou mama)
  • Baixo consumo de cálcio
  • Obesidade
  • Sedentarismo

 


ATENÇÃO!!

A presença de doenças inflamatórias do intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn e também doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar (FAP) e câncer colorretal hereditário sem polipose (HNPCC).

6) QUAIS SÃO OS CUIDADOS EXTRAS PARA A PREVENÇÃO?

Uma maneira seria a detecção e a remoção de possíveis pólipos que surgissem antes de eles se tornarem malignos. Além disso, manter uma dieta rica em vegetais e laticínios e pobre em gordura saturada, fazer atividade física regular e evitar o consumo exagerado de carne vermelha.

 

Fonte: Instituto Nacional de Câncer- Estimativa 2018- Incidência de Câncer no Brasilwww.inca.gov.br

 

Esperamos que estas informações tenham ajudado você a entender melhor o câncer do cólon ou colorretal. Também as disponibilizamos na versão impressa, folders colecionáveis Oncocentro.

Mas, não fique com dúvidas, a melhor maneira de entender é conversando com seu médico. Aqui na Oncocentro você encontra profissionais qualificados e empenhados para oferecer um atendimento ético e humanizado a todos pacientes e familiares.

 

 

 

Dr. Carlos Felin – CRM 9751
Médico Oncologista – Diretor Técnico da Oncocentro
[:]

Sem comentários

Postar um comentário