(55) 3221-9000

Destaques apresentados no AACR 2018

Image

Destaques apresentados no AACR 2018

Este ano, o Congresso da Associação Americana para a Pesquisa do Câncer (AACR), foi realizado de 14 a 18 de abril, em Chicago, EUA. Durante os cinco dias de evento, foram mais de seis mil trabalhos apresentados, com pesquisas de diversos países, entre eles o Brasil.


Segundo informações do site do Grupo Oncologia Brasil, única mídia brasileira presente no Congresso, com transmissão diária das principais notícias para os médicos e profissionais da saúde no País, a principal mensagem passada pelo Congresso da AACR, este ano, é que o caminho entre a pesquisa básica e a prática clínica está cada vez mais curto. Fato este, deu destaque a três pesquisas apresentadas na sessão plenária de combinação de imunoterapia de câncer de pulmão:
O KEYNOTE-189, CheckMate -227 e IMpower150 são estudos clínicos sobre câncer de pulmão, e representam a quebra de paradigma no tratamento de tipos específicos de câncer de pulmão e reforçam a constatação de que pesquisadores de laboratório e clínicos devem trabalhar cada vez mais próximos. Vamos entendermos melhor o que tratou cada um destes estudos:
De acordo com o Dr. Marcelo Cruz, Oncologista Clínico da University em Chicago, o KEYNOTE-189 trata-se de um estudo de fase três randomizado, duplo-cego, que avaliou pacientes portadores de câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC), virgem de tratamento, com qualquer expressão de PD-L1 nas células tumorais. Estes pacientes foram randomizados a receber quimioterapia padrão com pemetrexed. “O estudo analisou e mostrou claramente que a associação de quimioterapia, pemetrexed, carboplatina e pembrolizumabe, na primeira linha de pacientes com câncer de pulmão de histologia não escamosa e sem mutações, mostrou ganhos significativos em sobrevida global, sobrevida livre de progressão, taxa de resposta com um perfil de toxidade bastante parecido com a quimioterapia”. Ressaltou ainda, que nos EUA eles já utilizam esta combinação e acredita que com este estudo, haverá grandes mudanças de conduta para pacientes com câncer de pulmão.
Outro destaque da sessão plenária foi o CHECKMATE -227, um estudo de fase três realizado em pacientes portadores de CPNPC, diagnosticados logo no início. De acordo com o Dr. Vladimir Lima, oncologista do A.C Camargo Câncer Center, o estudo foi apresentado de maneira parcial, e incialmente deseja avaliar e comparar quimioterapia versus a combinação de nivolumabe e ipilimumabe versus nivolumabe. “É uma pesquisa que promete inovar a forma de tratamento, tanto pela combinação de dois imunoterápicos de ação complementar quanto pelo uso de um biomarcador como critério de seleção. O estudo revela que 45% das pessoas recém-diagnosticadas com CPNPC apresentam alta carga tumoral, que é independente da expressão de PD-L1”, declarou o médico.
O IMpower150 apresentado pelo Dr. Mark Socinski, também ganhou destaque na sessão plenária. Trata-se, também, de um estudo de fase três, randomizado de câncer de pulmão de não pequenas células dos subtipos não escamosos com estágio IV ou recidivado. Em entrevista ao site Oncologia Brasil, o Dr. Luiz Araújo, médico Oncologista e pesquisador do INCA e do Instituto COI, explica que os pacientes foram randomizados em três braços: o braço (A) com carbo-taxol e atezolizumabe, um inibidor de PD-L1 (imunoterapia); o braço (B) com carbo-taxol, Avastin e atezolizumabe; e o braço (C) com carbo-taxol e Avastin. “Foram 1.202 pacientes incluídos. O desfecho primário foi sobrevida livre de progressão. A sobrevida livre de progressão já tinha sido apresentada no ano passado e já se sabia que o estudo era positivo em sobrevida livre de progressão com hazard ratio de 0,62, ou seja, uma redução de 38% na recidiva ou progressão durante o acompanhamento”, comenta o oncologista.

Outros assuntos importantes também foram abordados no AACR, muitas novidades na parte da pesquisa básica e na prática clínica que certamente irá mudar a conduta no tratamento de tipos específicos de câncer.

Esperamos que estas informações tenham ajudado você a compreender melhor as novidades na área de pesquisa da oncologia. Mas, não fique com dúvidas, a melhor maneira de entender é conversando com seu médico. Aqui na Oncocentro você encontra profissionais qualificados e empenhados para oferecer um atendimento ético e humanizado a todos pacientes e familiares.

 

Fontes:
– Oncologia Brasil

Dr. Carlos Felin – CRM 9751
Médico Oncologista – Diretor Técnico da Oncocentro