(55) 3221-9000

Terapia alvo-específico

Image

Terapia alvo-específico

Tipos de terapia alvo-específico

A terapia alvo molecular visa à utilização de uma droga designada a atacar uma anormalidade específica considerada como causa de um distúrbio celular que resulta em uma doença. Atualmente, se refere geralmente a tratamentos em desenvolvimento para cânceres específicos.

Anticorpos Monoclonais

Os anticorpos monoclonais reconhecem e se ligam de forma seletiva a antígenos específicos presentes nas células tumorais. Desta forma, ativam o sistema imunológico para destruir estas células. Existem anticorpos monoclonais para tratar vários tipos de câncer.

Entre eles citam-se alguns: Rituximab, Trastuzumab, Bevacizumab, Cetuximab e Alentuzumab.

Inibidores da tirosina quinase

São medicações que ocupam o lugar no receptor da tirosina quinase. Este é uma estrutura molecular ou um ponto na superfície da célula que se liga a substâncias como hormônios, antígenos, drogas ou neurotransmissores. Quando ocorre a ligação com uma dessas substâncias no receptor de tirosina quinase é desencadeada uma série de reações químicas que se propagam para o interior da célula e podem resultar em multiplicação celular, morte, amadurecimento e/ou migração celular.

Nas células tumorais, todas essas reações são importantes para o crescimento e disseminação do tumor. Bloqueando o receptor da tirosina quinase, poderemos evitar essa reação química e diminuir as chances de sobrevivência do tumor. Como esse “gatilho” para início da divisão celular estará bloqueado, não permitindo que ela ative a célula cancerosa para divisão, esta célula acaba morrendo. Exemplos são Imatinibe, Erlotinibe, Lapatinibe, Sorafenibe entre outros.

Inibidor do proteossoma

É um medicamento que bloqueia a degradação de proteínas por um sistema celular chamado proteossoma e é utilizado no tratamento de mieloma múltiplo refratário a outros tipos de tratamento. Exemplo é Bortezomib.

 

 

 

Esperamos que estas orientações tenham ajudado você a entender melhor esse assunto tão importante na vida do paciente oncológico.

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. 

Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas.

 

 

 

 

 

 

Dr. Carlos Felin – CRM 9751
Médico Oncologista – Diretor Técnico da Oncocentro