Entendendo o Ciclo de Quimioterapia

Entendendo o Ciclo de Quimioterapia

O ciclo da quimioterapia se refere ao número de aplicações e intervalo entre duas doses de tratamento. Este intervalo é importante para que corpo se recupere dos efeitos colaterais do medicamento. A repetição do tratamento é necessária para que se mantenha a doença em controle, ou para se intensificar e aumentar a chance de cura, quando o tratamento é feito após a cirurgia. Importante ressaltar que o ciclo de tratamento depende do medicamento utilizado, da combinação de medicamentos escolhida e da doença que se está tratando.

O tratamento do câncer pode ser feito através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou transplante de medula óssea. Em muitos casos, é necessário combinar mais de uma modalidade.

Quimioterapia

A quimioterapia pode ser feita com a aplicação de um ou mais quimioterápicos. O uso de drogas isoladas (monoquimioterapia) mostrou-se ineficaz em induzir respostas completas ou parciais significativas, na maioria dos tumores, sendo atualmente de uso muito restrito. A poliquimioterapia é de eficácia comprovada e tem como objetivos atingir populações celulares em diferentes fases do ciclo celular, utilizar a ação sinérgica das drogas, diminuir o desenvolvimento de resistência às drogas e promover maior resposta por dose administrada. A quimioterapia pode ser utilizada em combinação com a cirurgia e a radioterapia.

Os quimioterápicos não atuam exclusivamente sobre as células tumorais. As estruturas normais que se renovam constantemente, como a medula óssea, os pelos e a mucosa do tubo digestivo, são também atingidas pela ação dos quimioterápicos. No entanto, como as células normais apresentam um tempo de recuperação previsível, ao contrário das células anaplásicas ou mutadas do câncer, a quimioterapia é aplicada em ciclos periódicos que visam contemplar a recuperação das células normais sem a recuperação das células anaplásicas. Por isso, o intervalo de tempo entre os ciclos de quimioterapia.

Os ciclos são os dias das aplicações. E o intervalo para ser restabelecida depende do protocolo pré-estabelecido pelos órgãos de fiscalização (FDA, ANVISA).

Por exemplo: em ciclos de alguns tratamentos são aplicadas quimioterapias em um dia só e a cada 21 dias é repetido. O dia da 1°aplicação é o dia 1 do 1°ciclo. O dia posterior é o dia 2 do 1° ciclo e assim sucessivamente até chegar ao dia 21 do 1° ciclo. O dia subsequente é o dia da 2° aplicação, sendo então o dia 1 do 2° ciclo. Assim ocorre até terminar o número de ciclos programados por seu médico.

 

Esperamos que estas orientações tenham ajudado você a entender melhor esse assunto tão importante na vida do paciente oncológico.

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. 

Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas.

 

Dr. Carlos Felin – CRM 9751
Médico Oncologista – Diretor Técnico da Oncocentro

Sem comentários

Postar um comentário