Uma dose de esperança

Uma dose de esperança

Pela primeira vez, vacina para prevenir o câncer de mama será testada por cientistas

Considerado um grande avanço na área, abre uma nova frente contra a doença

De acordo com informações publicadas em VEJA, no dia 10 de novembro de 2021, o Centro Americano de Tratamento e Pesquisa em Saúde, anunciou o início de um estudo clínico para testar a eficácia e segurança de uma vacina na prevenção e tratamento do tipo mais agressivo de câncer de mama, o triplo negativo. Caso dê certo, este será o primeiro imunizante capaz de evitar diretamente o surgimento de um tumor.

No momento, existem duas formas de proteção indireta, que são as vacinas de HPV- que atua sobre alguns tipos do Papilomavírus humano responsáveis por tumores, como o que causa câncer de colo do útero. E a vacina de Hepatite B que protege de infecções pelo vírus da hepatite b, doença que causa inflamação crônica do fígado, as células do órgão ficam vulnerável a proliferação descontrolada, característica do câncer.

O câncer de mama triplo negativo, embora tenha uma incidência menor é o gênero mais desafiador para a ciência, pois as células doentes não possuem receptores para os hormônios estrógeno e progesterona e não produzem a proteína HER2. Assim, elas não respondem à terapia hormonal e o remédio desenhado para atuar sobre a HER2 não tem utilidade no seu caso.

Entenda o CÂNCER DE MAMA TRIPLO NEGATIVO

  • Acomete entre 10 e 15% das pacientes;
  • É mais comum em mulheres com menos de 40 anos, afro-brasileiras ou que apresentem mutação no gene BRCA1;
  • É agressivo, tem menos opções de tratamento e pior prognostico se não descoberto cedo;
  • A chance de sobrevida de 5 anos após o diagnóstico depende de sua extensão. 

SOBRE O TUMOR

  • 91% localizado apenas na mama
  • 65% localizado na mama e áreas próximas
  • 11% espalhado por outras regiões

SOBRE O ESTUDO

Vão participar do ensaio clínico entre 18 e 24 pacientes que tiveram o diagnóstico do câncer em estágio inicial nos últimos três anos, que não apresentam tumor mas tem grande risco de recidiva.

A previsão é que o braço da pesquisa seja encerrado em setembro de 2022, cada voluntário receberá três doses da vacina que será aplicada com intervalos de duas semanas entre cada dose. Nessa fase, o objetivo é avaliar o desempenho do imunizante do ponto de vista terapêutico, como a resposta imune desencadeada pela vacina e efeitos colaterais.

Na sequência, será avaliado o seu poder preventivo, através do recrutamento de melhores sem câncer, mas com alto risco de desenvolver a doença e que optaram pela retirada voluntária das mamas como forma de prevenção ao surgimento de células tumorais.

ENTENDA O QUE FAZ A VACINA

  • Atua sobre uma proteína produzida somente nos períodos de lactação. Porém ela está presente em 70% dos casos de tumor triplo negativo produzida pelas células tumorais.
  • A vacina estimula a resposta imune à proteína.
  • Ao fazer isso, permite a localização das células doentes e sua destruição antes que se transformem em um tumor maduro.

As vacinas são feitas para provocar uma reação consistente de defesa do corpo contra um agente infeccioso. A partir do momento que é apresentado ao organismo o vírus ou a bactéria que se pretende combater nas formas inativas ou enfraquecidas, mas suficientes para alertar o sistema imunológico sobre a presença do inimigo e estimulá-lo a contê-lo.


Leia também: Como prevenir o Câncer de Mama?


Falar em imunizante contra o câncer é uma questão muito complexa, ainda que o objetivo deste seja o mesmo que os demais, os alvos a serem acionados para alertar o “exército de defesa” a atacar o “inimigo”, não são facilmente identificáveis, pois o câncer surge a partir da proliferação desordenada das próprias células do organismo o que torna difícil ao sistema imunológico perceber as proteínas produzidas. 

Fontes: Instituto Oncoguia e Cleveland Clinic (EUA)

Leia a matéria na íntegra: Pela 1ª vez, cientistas testarão vacina para prevenir o câncer de mama

 

 

Pergunte! Converse conosco, expresse seus anseios, só assim poderemos ajudá-lo e esclarecer suas dúvidas, proporcionando a você e seu familiar um perfeito entendimento quanto ao diagnóstico e a necessidade de um tratamento antineoplásico.
Há décadas, a Oncocentro está sempre do seu lado para ajudar na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer.

📌 R. José Bonifácio, 2355 – Policlínica do HCAA – 11º andar sala 1101 – Santa Maria /RS
🌐 www.oncocentrosm.com.br
📞 (55) 3221-9000

Os textos publicados em nosso Blog têm caráter informativo e suas informações não substituem a consulta com especialistas. Para mais informações sobre o tema, entre em contato com um médico e tire suas dúvidas.

2 Comentários
  • Glenda menezes
    Postado as 00:13h, 13 novembro Responder

    E em relacao ao cancer hormonal ( luminol b) nao tem nenhuma perspequitiva de vacina, como descobrir a origem dele, quando o teste genetico nao acusou mutacao dos genes brca1 e brca2? Tenho muitos casos de cancer de mama na familia, inclusive minha mae teve por 2 vezes hormonal e agora minha tia apos 5 anos de tratamento esta com cancer novamente na outra mama e é hormonal novamente.

  • oncocentro
    Postado as 09:58h, 05 janeiro Responder

    Olá, GLENDA MENEZES, ter uma vacina que previna o câncer é um desejo de todos. Seguimos confiantes na ciência e com a esperança de um dia, quem saber, ter essa conquista na área da saúde.

Postar um comentário